Divinut Indústria de Nozes Ltda

Cachoeira na rota da fruticultura

Data: 19/07/2016
Cachoeira na rota da fruticultura
Cachoeira na rota da fruticultura

Cachoeira do Sul vai ser incluí­da num programa estadual de revitalização da fruticultura da Metade Sul do Estado. Se o projeto for concretizado, o municí­pio vai receber parte de uma verba de R$ 9,3 milhões, que será¡ destinada para incentivar pequenos agricultores a trabalharem em parceria com grandes empresas do setor.

O diretor municipal de Agricultura, Viní­cius Corneli, explica que serão incluídas no programa as cadeias da noz-pecã e das oliveiras. Corneli e o empresário cachoeirense Edson Ortiz, proprietário da Divinut, estiveram terça-feira no municí­pio de Hulha Negra, em reunião promovida pelo secretário estadual da Agricultura, Luiz Fernando Mainardi, com representantes de diversos municí­pios gaúchos, para tratar da elaboração do programa.

Além da Divinut, serão contemplados com o programa estadual as empresas Olivas do Sul e Paralelo 30, de José Alberto Aued, e Pecanita, do empresário Claiton Wallauer, além dos produtores familiares que se habilitarem a participar do projeto.

Uma equipe formada por técnicos da Secretaria Estadual de Agricultura, Emater e de entidades como Fepagro e Embrapa farão¡ uma visita a Cachoeira para fazer um levantamento das potencialidades das localidades para saber quais são os locais mais propí­cios para o desenvolvimento do projeto. "Eles vão querer saber também quais as maiores necessidades das empresas contempladas no projeto", explica Corneli.

O Início

Ainda na década de 1990, a busca por alternativas para diversificar a matriz produtiva levou à  criaçso do Comitê de Fruticultura da Metade Sul do RS, atualmente presidida por Edegar Franco. De acordo com ele, deverão comparecer ao encontro de Hulha Negra associações de produtores e representantes das 14 viní­colas instaladas nos últimos anos na região, assim como representantes dos governos dos municí­pios com maior foco na fruticultura.

Mainardi lembra que a primeira fase do programa transformou nove mil hectares em pomares de frutas. A segunda fase pretende ampliar esse número. A Metade Sul foi dividida em microrregiões para facilitar a gerência sobre as demandas de cada espécie e, "certamente, levando às diretrizes ideais para cada uma das culturas, poderemos também melhorar no qualitativo", ressaltou o secretário da Agricultura.

Leia também: